Notícias

USP retira coágulo de artéria no cérebro e devolve movimentos a vítimas de AVC

 

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto (SP) estão utilizando uma técnica capaz de reduzir quase que totalmente as sequelas do Acidente Vascular Cerebral (AVC), como a paralisia facial e a perda de alguns movimentos.
Popularmente chamado de cateterismo cerebral, o tratamento consiste em desentupir as artérias grandes do cérebro até 24 horas após os primeiros sintomas. O método já foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).
"Com o tratamento endovascular, às vezes, a gente vê respostas dramáticas. Pacientes que ficariam sequelados pelo resto da vida voltam a andar com esse tratamento. Então, é uma alternativa terapêutica muito interessante", diz o neurologista Octávio Pontes Neto.
Ele explica que a técnica consiste em introduzir um microcateter em uma artéria na perna do paciente e avançar até a área entupida do cérebro, onde o coágulo que impede a passagem do sangue é aspirado ou retirado com um stent, dispositivo usado para desobstruir os vasos.
Segundo Pontes Neto, o procedimento pode "limpar" 80% dos vasos sanguíneos afetados e é mais eficaz que o tratamento convencional, com o uso de medicamentos para dissolver os coágulos que se formaram no cérebro e causam o AVC.
Entretanto, o resultado do tratamento depende da extensão e do tempo em que a lesão ocorreu. O neurologista explica que, quando ocorre um AVC, os neurônios sofrem com falta de oxigênio e morrem em uma taxa de 1,9 milhões por minuto.
"É como se fosse uma fogueira queimando um canavial e a gente tem que correr, como um bombeiro, tentando apagar o incêndio, tentando abria a artéria o mais rápido possível para restaurar o fluxo sanguíneo para o cérebro", diz.
O médico afirma que o sucesso da técnica depende ainda de um bom fluxo colateral, ou seja, que outras artérias estejam levando sangue à área do cérebro afetada pelo AVC. Além disso, é importante que o infarto seja identificado em estágio inicial.
"Não é qualquer paciente com AVC isquêmico, mas aquele que tem oclusão de uma grande artéria do cérebro, em que a gente não consegue desentupir só o remédio na veia. Então, muitas vezes, além de receber o remédio, vai ser submetido a esse cateterismo", completa.

 

Maio Amarelo

Durante todo o mês de Maio foi realizada a campanha Maio Amarelo, que tem como objetivo tornar o tema trânsito pauta diária durante todo o mês de maio e estimular, desta forma, a participação de toda a população, empresas, governos e entidades. Foi distribuida uma carta-convite pelos organizadores do movimento aos representantes da sociedade organizada e poder público para uma ação coordenada de reflexão sobre um dos temas mais debatidos e que mais preocupa o país: as consequências e a redução dos acidentes de trânsito.
A escolha pelo mês de maio justifica-se por se tratar de um mês histórico para a segurança no trânsito e um marco mundial para o balanço das ações realizadas em todo o mundo.
Foi no dia 11 de maio de 2011 que a ONU decretou a Década de Ações para a Segurança no Trânsito (2011-2020), que tem como meta a redução de 50% dos acidentes no Brasil e no mundo. No Brasil, o número de mortes no trânsito no Brasil é de aproximadamente 23 por 100 mil habitantes. O horizonte da Política Nacional de Trânsito (PNT) para dezembro de 2014 é de reduzir este índice para 11 mortes para cada 100.000 habitantes.
Também é em maio realizada desde 2013 a Semana Mundial de Segurança do Pedestre, também chamada de Campanha Zenani Mandela, em memória da neta de Nelson Mandela, vítima fatal do trânsito na África do Sul em 2010, com apenas 13 anos.
O amarelo é em alusão à sinalização de advertência, que também simboliza atenção.
Os organizadores esclarecem que o Maio Amarelo não é uma campanha, mas sim, uma ação, um movimento do qual participam toda a sociedade organizada, toda empresa, ONG, entidade, associação, instituição, num mês em que se promovem ações de conscientização e, principalmente, debates em torno do trânsito seguro que se estenderão ao longo de todo o ano.
O site www.maioamarelo.com.br está em construção e em breve estará no ar com as principais informações e explicações sobre o movimento, para divulgar os seus parceiros e ações realizadas, para disponibilizar o material gráfico e com espaço para comentários e interação com a sociedade.
O movimento sugere e incentiva a divulgação da logo do Maio Amarelo no vidro traseiro de ônibus, adesivo autocolantes para capacetes de ciclistas e motociclistas, para automóveis e para envelopamento da frota, além de camiseta com a logo do movimento e o uso do fitilho amarelo na lapela.
Não é suficiente que o trânsito, os acidentes e suas consequências sejam lembrados somente em datas específicas como parte de uma sequência de eventos realizada dentro de um planejamento por datas comemorativas. Essas ações são importantes, mas acima de tudo, há que se sensibilizar e mobilizar a sociedade para uma reflexão e ações permanentes e efetivas ao longo de todo o ano.
A sociedade precisa compreender que trânsito é pauta permanente, diária, e que os acidentes já se tornaram epidemia, assunto de saúde pública. Ninguém sabe quem será a próxima vítima de um acidente de trânsito.

 

Nas redes sociais a página do Maio Amarelo no facebook pode ser acessada pelo link www.facebook.com/maioamarelo e no twitter pelo endereço @maioamarelo. No Google+ o endereço é https://plus.google.com/116279094411607366028/posts e a página já ativada no Linkedin. O email para contato com a organização do movimento é O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">

 

FONTE: http://portaldotransito.com.br/opiniao/educacao-de-transito/conheca-o-movimento-maio-amarelo/

Hospitalar 2017 - Venha nos visitar

A exemplo de anos anteriores a EngeClinic, mais uma vez, estará participando da Feira Hospitalar 2017, que acontecerá em São Paulo, no período de 16 a 19 de Maio, no Expo Center Norte.

Teremos o maior prazer em recebê-los no estande 172, localizado no setor verde, rua 12.

Contamos com sua presença!

 

Venha nos visitar

Cãibras musculares: como evitar e aliviar

Dolorosas e extremamente desconfortáveis, as cãibras são por definição, a contração involuntária de um músculo esquelético que tem sua ação de contrair e relaxar realizada através de estímulos nervosos comandados pela vontade, ou seja, de maneira voluntária.

Na atividade física (esportiva ou não) aparece como sintoma da fadiga, de esforços que já esgotaram nutrientes, enzimas, eletrólitos, água entre outros, prejudicando o comando responsável pela ação de músculos durante a cadeia de movimento requerida para o gesto esportivo realizado naquele instante.
Algumas doenças crônicas e algumas medicações de uso contínuo podem ter a cãibra como efeito secundário. Claro que são as mesmas da atividade física, mas completamente diferentes na sua casa primária.
Evitar a cãibra não é tarefa muito simples, pois seu aparecimento é multifatorial e aqui vão algumas poucas recomendações.

 

Como evitar cãibras musculares:
• Mantenha-se hidratado constantemente: essa recomendação - reposição hídrica vale para o dia a dia e não só para aquele em que a atividade ocorre ou mesmo durante sua execução. Evite dias e horários de calor mais intenso. O controle da temperatura corporal nessas ocasiões fará com que se perca mais água e eletrólitos do que nos dias frescos. Note que muitos maratonistas usam a água para resfriar o corpo, às vezes, pois consideram-se bem hidratados e sabem da importância do controle da temperatura corporal;
• Evite o frio intenso: a contração muscular faz parte do aquecimento para manter a temperatura corporal. Estímulos nervosos contínuos para a produção de calor podem resultar em cãibra;
• Faça provas e competições do tamanho do seu preparo físico. Lembre-se que a fadiga é o gatilho para as cãibras. Saber seu limite é fundamental para que ela não ocorra;
• Tenha uma boa noite de sono na véspera das competições e de esforços intensos. Evite o consumo de álcool, pois ele é causador de desidratação aguda, tudo o que você não vai querer para o dia seguinte.

Bem, mas, e se apesar de todos os cuidados, a cãibra ocorrer? O que fazer? Hmm, muito cuidado nessa hora. Como comentei, a cãibra deixa o músculo em um estado prolongado de contratação e para "desfazer", deve-se alongá-lo. Simples, não é? Não!

 

Recomendações básicas para aliviar as dores:
• Se você for o sofredor, tente se concentrar e "comandar" novamente o músculo para relaxar e desfazer a contração. Imaginar o movimento contrário ao que ele tenta fazer pode ser a saída. Ele deverá relaxar para permitir esse gesto necessário para o movimento proposto;
• Não funcionou voluntariamente, ativamente, peça para alguém fazer esse movimento por você. Mas cuidado - deve ser realizado de maneira extremamente gentil, pois é movimento antagônico ao comando de contração. Lembre-se que o músculo não alonga (contrai e relaxa) e se a força for excessiva a cãibra torna-se uma ruptura muscular, afastando-o por mais tempo da atividade física.

 

É, finalmente, não existe remédio para a cãibra nos esportes, exceto seguir as regras gerais de um bom condicionamento e uma vida saudável. Respeite seus limites e seja feliz!

 

FONTE: http://www.minhavida.com.br/saude/materias/30806-caibras-musculares-como-evitar-e-aliviar

Notícias e Eventos

Notícias antigas

Trabalhe Conosco

rhengeclinic.com

E-mails: engeclinic@engeclinic.com / comercial@engeclinic.com • Tel.: +55 (21) 3490-2666 / (21) 3896-6363 / (21) 2512-6552 • Engeclinic Serviços LTDA. Todos os direitos reservados.