Notícias

Exame de sangue pode identificar fumantes que apresentam maior risco de doenças cardíacas

RIO - Um simples exame de sangue pode quantificar a toxicidade de um fumante de pulmão e, em consequência, o seu risco de doenças cardíacas. É o que garantem pesquisadores do UT Southwestern Medical Center, que faz parte da Universidade do Texas, nos EUA.

Um em cada cinco adultos americanos são fumantes e estão entre os candidatos a desenvolver doenças relacionadas ao fumo. As despesas médicas e a perda de produtividade em consequência do fumo custam ao orçamento americano cifra superior a US$ 167 milhões, anualmente, de acordo com levantamento dos Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Níveis altos de uma proteína pulmonar encontrados no sangue dos fumantes podem indicar o risco de acúmulo de placas perigosas nos vasos sanguíneos, segundo o médico Anand Rohatgi, professor assistente de medicina da UT Southwestern e co-autor do estudo disponível em publicação da Associação Americana do Coração.

- Estamos agora perto de ter um exame de sangue para medir os efeitos relacionadas ao fumo, que contribuem para a doença cardíaca aterosclerótica - disse Rohatgi. - Fumar é um dos maiores fatores para o desenvolvimento de doenças cardíacas.

Fumantes têm risco aumentado de ataque cardíaco, de derrame e de morte por doença cardíaca, mas o risco varia entre os indivíduos. Até este estudo, não havia um exame de sangue simples capaz de medir os efeitos do tabagismo sobre variadas doenças do coração.

Os pesquisadores determinaram a quantidade de surfactante pulmonar B (SP-B), uma proteína encontrada nas células do pulmão danificado, em mais de 3.200 participantes do estudo, com idade que variam entre 30 e 65 anos. A pesquisa recebeu o nome de "Estudo do Coração de Dallas". A investigação sobre doença cardiovascular envolveu, no total, mais de 6.100 moradores de Dallas County, que forneceram amostras de sangue e passaram por exames dos vasos sanguíneos, feitos com ressonância magnética e tomografia computadorizada.

Os pesquisadores descobriram que os fumantes que tinham níveis mais elevados da SP-B também tinham o mais perigoso acúmulo de placas na aorta, a maior artéria do corpo, com ramos principais para o abdômen, a pelve e as pernas.

O exame de sangue ainda está sendo avaliado clinicamente e não está disponível para uso comercial. O próximo passo, disse Rohatgi, é investigar se a SP-B provoca aterosclerose ou é simplesmente um marcador da doença, e determinar se a redução dos níveis de SP-B pode melhorar os resultados sobre o risco de doença cardíaca.

Fonte: O Globo

http://oglobo.globo.com/vivermelhor/mat/2011/10/26/exame-de-sangue-pode-identificar-os-fumantes-que-apresentam-maior-risco-de-doencas-cardiacas-925663854.asp#ixzz1cNo5wLr1

Novo laser melhora técnica de cirurgia de catarata

Dois novos estudos propõem abordagem revolucionária para a cirurgia de catarata, tornando-a mais segura e mais eficiente do que o procedimento padrão de hoje. A nova abordagem, usando laser de femtossegundos especial, é aprovada pelo FDA e foi um dos temas mais aguardados da 115.a Reunião Anual da Academia Americana de Oftalmologia.

Pesquisa documentada pelo oftalmologista William W. Culbertson, do Bascom Palmer Eye Institute da Universidade de Miami, e pelo médico Mark Packer, da Oregon Health and Sciences University, confirma várias vantagens do laser para cirurgia de catarata.

A equipe do Dr. Culbertson estuda como o pré-tratamento de catarata com o laser de femtossegundos afetou o nível de energia de ultra-som necessário para suavizar a catarata. Esta emulsão é realizada para que a catarata possa ser facilmente aspirada para fora da vista. Cirurgiões usaram o menor nível possível de energia ultra-sônica, já que, numa pequena porcentagem dos pacientes, a técnica costuma ser associada com uma recuperação mais lenta da boa visão após a cirurgia. Idealmente, nos casos apropriados, o uso de ultra-som seria eliminado por completo.

No estudo do Dr. Culbertson, 29 pacientes tiveram cirurgia para catarata com um laser de femtossegundos em um olho e, no outro, o procedimento padrão de catarata, chamada de facoemulsificação. A cirurgia a laser incluiu a capsulotomia a laser, que é uma incisão circular na cápsula do cristalino, seguida por laser de lente de fragmentação, e depois por ultra-som, emulsificação e aspiração da catarata.

A fragmentação da lente envolvia o uso do laser para dividir as lentes em seções e, em seguida, amaciá-las através da gravação de padrões cross-hatch em sua superfície. A cirurgia-padrão incluía uma incisão manual, seguido pelo ultra-som de emulsificação e a aspiração da catarata.

Após a remoção de catarata por qualquer método, lentes intra-oculares foram inseridas nos olhos para substituir a lente natural e proporcionar a correção da visão adequada para cada paciente.

O uso de energia ultra-som foi reduzida em 45 por cento no pré-tratamento a laser em comparação com olhos que receberam o procedimento de cirurgia-padrão de catarata. Além disso, a manipulação cirúrgica do olho foi reduzida em 45 por cento em olhos que receberam o pré-tratamento a laser, em comparação com a cirurgia-padrão manual. Este estudo envolveu os tipos mais comuns da catarata, classificados de 1 a 4. Dr. Culbertson nota que estes resultados podem não se aplicar a um maior grau de catarata.

- Na prática clínica, cirurgiões poderiam esperar uma intervenção mais segura e mais rápida, quando o pré-tratamento a laser é realizado antes da remoção da catarata - disse Dr. Culbertson. - A combinação de precisão e de simplificação é possível com o laser de femtossegundos e representa um grande avanço para esta cirurgia.

A equipe do Dr. Packer no Oregon Health Sciences University e em Portland, Oregon, avaliaram a segurança da cirurgia a laser de catarata em termos de perda de células endoteliais da córnea, medidas após a cirurgia de catarata. Medir a perda de células endoteliais é uma das maneiras mais importantes para avaliar a segurança das novas técnicas de cirurgia de catarata. Estas células preservam a clareza da córnea, e, como não se regeneram, devem durar uma vida. O estudo do Dr. Packer descobriu que, quando o laser de fragmentação de lente foi usado em 225 olhos, não houve perda de células endoteliais, enquanto os 63 olhos que receberam o tratamento padrão tiveram perda de células de 1 a 7 por cento.

- Nossa descoberta é de que o laser de fragmentação de lente parece proteger as células endoteliais corneanas e representa um benefício significativo desta nova cirurgia - disse Packer. - Este procedimento é mais seguro do que o tratamento de catarata padrão e é provável que isso signifique melhor visão e menos preocupações de saúde ocular para pacientes de catarata, a longo prazo.

Estudos anteriores de cirurgia de catarata com laser de femtossegundos encontraram outros benefícios. O laser permite que o cirurgião fazer pequenas incisões mais precisas e realizar capsulotomias melhores, que é a remoção de parte da cápsula do cristalino que fazem lente intraocular colocação (LIO) mais segura. Isso reduz a chance de que uma LIO mais tarde torne-se deslocada. Além disso, a cirurgia de catarata a laser parece melhorar os resultados em pacientes que optam por LIOs de tecnologia avançada, além de corretivo de incisões na córnea, para alcançar a visão a uma boa distância.

Lasers de femtossegundos têm sido utilizados por oftalmologistas em cirurgia refrativa como Lasik, de transplantes de córnea, e em outros procedimentos. Em 2009, um novo tipo de laser de femtossegundos, que poderia chegar a uma profundidade suficiente para de ser usado na remoção de catarata, foi aprovado pelo FDA.

Fonte: O Globo

http://oglobo.globo.com/vivermelhor/mat/2011/10/24/novo-laser-melhora-tecnica-de-cirurgia-de-catarata-925641144.asp#ixzz1cNnquTgT

Ministério lança Blog da Saúde

O Ministério da Saúde lançou o Blog da Saúde (http://www.blogsaude.net), ferramenta que fornecerá conteúdos de notícias, apresentações, fotos, infográficos, áudios, vídeos, peças publicitárias e conferências via web. O objetivo do Ministério é prestar informações ao cidadão e mobilizar a comunidade virtual para campanhas de utilidade pública, ações de promoção da saúde e temas relevantes como doação de sangue, medula, órgãos, enfrentamento ao crack e outras drogas, prevenção contra AIDS e dengue.

De acordo com a área de Redes Sociais do Ministério, cerca de 560 blogueiros brasileiros já colaboram de forma espontânea com mobilizações na internet. O Ministério da Saúde quer ampliar essas parcerias, fornecendo conteúdos específicos.

O Blog da Saúde será dividido por temas. O destaque é a área “Você e o SUS”, que será dedicada exclusivamente a conteúdos enviados pela população. A editoria contará ainda com participação do Comunica SUS, rede que abrange cerca de 1,3 mil assessores de comunicação das secretarias estaduais e municipais, prefeituras e órgãos vinculados ao Ministério para divulgação de suas ações. Neste ambiente, será feita troca de experiências e sugestões.

ATUAÇÃO NAS REDES – O Ministério da Saúde já mantém forte atuação nas Redes Sociais. Além da produção de diversos conteúdos no Twitter, o Ministério possui perfis oficiais no Orkut, Facebook, Flickr, YouTube, Slideshare, Soundcloud e Formspring. Neste último, mais de 14,5 mil questionamentos foram respondidos. O perfil minsaude no Formspring é hoje um dos maiores bancos de respostas sobre Saúde na América Latina.

Fonte: Portal da Saúde

http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/index.cfm?portal=pagina.visualizarNoticia&codConteudo=2431&codModuloArea=162&chamada=ministerio-lanca-blog-da-saude

Notícias e Eventos

Notícias antigas

Trabalhe Conosco

rhengeclinic.com

E-mails: engeclinic@engeclinic.com / comercial@engeclinic.com • Tel.: +55 (21) 3490-2666 / (21) 3896-6363 / (21) 2512-6552 • Engeclinic Serviços LTDA. Todos os direitos reservados.