Notícias

Doenças transmitidas pela chuva

A chuva e as enchentes podem transmitir doenças como micose, hepatite e leptospirose, e por isso, deve-se evitar entrar em contato com a água, especialmente durante períodos de enchente.
No entanto, se for muito necessário entrar em contato com esse tipo de água, para limpar a casa ou recuperar objetos, é necessário calçar botas de plástico impermeáveis ou, em alternativa, cobrir mãos e pés com 2 ou 3 sacolas plásticas, uma por cima da outra e prendê-las no punho e no calcanhar com um durex forte.

 

Algumas das doenças transmitidas pelo contato com a água das enchentes são:

 

Leptospirose: Doença que se dá devido a uma bactéria presente na urina e nas fezes de animais com ratos, porcos, cobras, ovelhas, cães, bois e vacas;
Pneumonia: Infecção que se instala nos pulmões devido à entrada de fungos no sistema respiratório, gerando sintomas parecidos com os da gripe;
Malária: Transmitida pela picada do mosquito da malária, que leva a um comprometimento do fígado e do sangue;
Micose: Doença de pele causada por um fungo, que penetra na pele, gerando sintomas como coceira, vermelhidão e pequenas feridas;
Toxoplasmose: Deevido ao consumo de alimentos contaminados com o vírus da toxoplasmose, presente nas fezes de cães e gatos;
Febre Tifoide: Se dá devido ao consumo de alimentos contaminados com uma bactéria chamada Salmonela, gerando sintomas como febre, enjoo e dor de barriga;
Hepatite: Devido ao consumo de água ou de alimentos contaminados com o vírus da hepatite, gerando cor amarelada na pele e nos olhos, devido ao comprometimento do fígado.

 

A chuva e as enchentes podem ainda levar à proliferação do mosquito da dengue. Para se proteger, deve-se usar repelente diariamente e nunca deixar água parada, para evitar aumento de casos da reprodução do mosquito.

 

Como evitar?
Para evitar estas doenças, recomenda-se não entrar em contato com as águas da enchente e quando as águas baixarem, lavar tudo o que foi molhado pela água da enchente com cloro para matar todos os micro-organismos nocivos.
É preciso ainda usar repelente nos dias a seguir as enchentes, só beber água clorada ou filtrada e comer alimentos que não tenham entrado em contato com as águas sujas da enchente.

 

 

Fonte: https://www.tuasaude.com/doencas-transmitidas-pela-chuva/

Luz piscante oferece esperança de tratamento para Alzheimer

Cientistas americanos usaram com sucesso luzes piscantes para reduzir, em cérebros de roedores, as placas beta-amiloides associadas ao mal de Alzheimer em humanos, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira (7).
Embora seja muito cedo para dizer se o experimento poderia se traduzir em um tratamento para a doença degenerativa, ele abre um caminho promissor para novas pesquisas, disse a equipe.
"É um grande 'se'", disse a coautora do estudo Li-Huei Tsai, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). "Mas se os seres humanos se comportam de forma semelhante aos camundongos em resposta a este tratamento, eu diria que o potencial é enorme, porque é não invasivo e acessível", acrescentou.
A pesquisadora ressaltou que muitas terapias que mostraram funcionar em roedores no passado falharam em seres humanos.
Especialistas externos disseram que os resultados são "potencialmente" interessantes.

 

Como funciona
Acredita-se que a terapia funcione ao induzir ondas cerebrais elétricas que se tornaram disfuncionais em pessoas com Alzheimer.
O experimento consistiu na exposição de camundongos à luz estroboscópica para tentar influenciar a atividade elétrica do cérebro.
Depois de uma hora de estimulação, os pesquisadores encontraram uma redução de 40% a 50% dos níveis de beta-amiloide no hipocampo, a parte do cérebro onde acredita-se que a memória reside, disseram.
E após uma semana de tratamento, placas e proteínas amiloides flutuantes foram "reduzidas acentuadamente", disse a equipe em um comunicado.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a demência afeta cera de 47,5 milhões de pessoas em todo o mundo - com 7,7 milhões de novos casos a cada ano.
O Alzheimer é a causa mais comum, sendo responsável por entre 60% e 70% dos casos de demência.

 

Ainda sem tratamento
A doença, que foi identificada pela primeira vez a mais de 100 anos atrás, geralmente evolui de episódio de esquecimento e distração para uma grande perda de memória e dependência quase total, coforme os afetados se tornam alheios ao tempo e o lugar.
Ainda não há tratamento eficaz nem cura para o Alzheimer, e os cientistas discordam sobre suas causas - incluindo o papel das placas formadas pela proteína beta-amiloide.
O estudo "pode muito bem nos dar uma faísca para novas formas de pesquisa para explorar mais a relação entre os ritmos da atividade elétrica no cérebro e a doença de Alzheimer", disse Doug Brown, diretor de pesquisa da Sociedade de Alzheimer, uma instituição de caridade britânica.

 

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/luz-piscante-oferece-esperanca-de-tratamento-para-alzheimer.ghtml

SUS usará supercomputadores para integrar dados de prontuários eletrônicos

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, visitou, nesta semana, a instalação de três supercomputadores recém-adquiridos pelo ministério para integração e informatização do Sistema Único de Saúde (SUS). Com projetos como o Prontuário Eletrônico, o governo pretende reunir e processar as informações de cada unidade de saúde do país.
Os municípios têm até o dia 10 de Dezembro para se integrarem ao sistema. Até o momento, segundo o ministro, 4400 municípios responderam ao chamado do governo federal. No dia 14 de Dezembro, o Ministério irá divulgar um balanço das cidades e unidades que já aderiram a essa informatização e aquelas que não o fizeram.
Será a partir dessas respostas que o governo federal pretende levantar um número de quantas unidades não possuem computadores, quantas não têm conectividade e quantas não contam com pessoal capacitado para trabalhar com o sistema integrado e informatizado.
Os supercomputadores já estão instalados, mas os softwares que serão utilizados para implantação desse sistema integrado serão licitados em 2017. A previsão do ministro é de que, em Março, o sistema fique pronto para funcionamento, mas a partir daí a efetivação dessa troca de dados dependerá da integração dos municípios no sistema e na sua aplicação em cada cidade.
 
Entenda o projeto do prontuário eletrônico
O projeto do prontuário eletrônico foi anunciado em outubro por Ricardo Barros. A ideia é ter um sistema nacional digitalizado com todas as informações dos brasileiros que usam serviços de atenção básico do SUS.
As informações de todos os atendimentos, diagnósticos, procedimentos, internações, exames e prescrições de remédios de cada paciente deverão ser obrigatoriamente cadastradas no prontuário pelas unidades básicas de saúde (UBS) e repassadas ao Ministério pelo município. Segundo Barros, o repasse de recursos de saúde para esses municípios estará vinculado ao envio dos dados para o governo federal.
Ou seja, municípios que não enviarem as informações dos prontuários serão punidos por um bloqueio de parte dos recursos federais, mais especificamente uma parcela chamada PAB Variável, que corresponde ao financiamento de estratégias da atenção básica em saúde, como custeio dos atendimentos de pediatria e programas como Saúde da Família.
 
 

01 de Dezembro: Dia Mundial da Luta contra a Aids

O que é o Dia Mundial de Luta Contra a Aids?
Transformar o 1º de dezembro em Dia Mundial de Luta Contra a Aids foi uma decisão da Assembléia Mundial de Saúde, em outubro de 1987, com apoio da Organização das Nações Unidas - ONU. A data serve para reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV/Aids. A escolha dessa data seguiu critérios próprios das Nações Unidas. No Brasil, a data passou a ser adotada, a partir de 1988, por uma portaria assinada pelo Ministro da Saúde.
 
Porque o laço vermelho como símbolo?
O laço vermelho é visto como símbolo de solidariedade e de comprometimento na luta contra a aids. O projeto do laço foi criado, em 1991, pela Visual Aids, grupo de profissionais de arte, de New York, que queriam homenagear amigos e colegas que haviam morrido ou estavam morrendo de Aids.
O Visual Aids tem como objetivos conscientizar as pessoas para a transmissão do HIV/Aids, divulgar as necessidades dos que vivem com HIV/Aids e angariar fundos para promover a prestação de serviços e pesquisas.
O laço vermelho foi escolhido por causa de sua ligação ao sangue e à idéia de paixão, afirma Frank Moore, do grupo Visual Aids, e foi inspirado no laço amarelo que honrava os soldados americanos da Guerra do Golfo.
Foi usado publicamente, pela primeira vez, pelo ator Jeremy Irons, na cerimônia de entrega do prêmio Tony Awards, em 1991. Ele se tornou símbolo popular entre as celebridades nas cerimônias de entrega de outros prêmios e virou moda. Por causa de sua popularidade, alguns ativistas ficaram preocupados com a possibilidade de o laço se tornar apenas um instrumento de marketing e perdesse sua força, seu significado. Entretanto, a imagem do laço continua sendo um forte símbolo na luta contra a Aids, reforçando a necessidade de ações e pesquisas sobre a epidemia.
Hoje em dia, o espírito da solidariedade está se espalhando e vem criando mais significados para o uso do laço.
Inspirado no laço vermelho, o laço rosa se tornou símbolo da luta contra o câncer de mama. O amarelo é usado na conscientização dos direitos humanos dos refugiados de guerra e nos movimentos de igualdade. O verde é utilizado por ativistas do meio ambiente preocupados com o emprego da madeira tropical para a construção de sets na indústria cinematográfica. O lilás significa a luta contra as vítimas da violência urbana; o azul promove a conscientização dos direitos das vítimas de crimes e, mais recentemente, o azul vem sendo adotado pela campanha contra a censura na internet.
Além da versão oficial, existem quatro versões sobre sua origem. Uma delas diz que os ativistas americanos passaram a usar o laço com o "V" de Vitória invertido, na esperança de que um dia, com o surgimento da cura, ele poderia voltar para a posição correta. Outra versão tem origem na Irlanda. Segundo ela, as mulheres dos marinheiros daquele país colocavam laços vermelhos na frente das casas quando os maridos morriam em combate.
Com todas essas variações, o mais importante é perceber que todas essas causas são igualmente importantes para a humanidade.
Vamos promover esclarecimentos, debates e conversas sobre preconceito e prevenção da doença.
Tanto tem se falado em ser solidário, em exercer a solidariedade etc. Mas, na prática, o que é isso? Gramaticalmente, a palavra solidariedade é classificada como um substantivo, e substantivos servem para indicar os seres, os conceitos e os atos. Daí, que a solidariedade pode ser entendida como uma atitude. Atitude de apoio, proteção e cuidado com alguém. As grandes epidemias, as guerras e as catástrofes são exemplos de situações que colocam as pessoas diante da necessidade de serem apoiadas, protegidas e cuidadas. Nestas ocasiões, é preciso ter a clareza de que precisamos modificar algumas posturas pessoais, às vezes preconceituosas, e nos tornarmos disponíveis para enfrentar qualquer dificuldade.
A evolução da epidemia de aids permite identificar vários exemplos de expressão de solidariedade. Talvez o mais significativo deles seja a mobilização da população em todo mundo no dia 1º de dezembro, "Dia Mundial da Luta Contra a Aids". Nesse dia, se comemora o esforço de cada nação no combate à aids. A data é dedicada à luta contra a aids pela solidariedade, contra a discriminação e o preconceito em relação a todas as pessoas que vivem com o HIV.
 

Notícias e Eventos

Notícias antigas

Trabalhe Conosco

rhengeclinic.com

E-mails: engeclinic@engeclinic.com / comercial@engeclinic.com • Tel.: +55 (21) 3490-2666 / (21) 3896-6363 / (21) 2512-6552 • Engeclinic Serviços LTDA. Todos os direitos reservados.