Skip links

Como evitar o ressecamento da pele no inverno

O inverno já chegou e às vezes provoca problemas incômodos na pele das pessoas mais velhas. O clima frio e seco pode deixá-la ressecada, o que exige hidratação extra. Para tirar dúvidas sobre o assunto, conversei com médica dermatologista Michele Haikal, especialista em medicina antienvelhecimento e membro do Colégio Ibero Latino-americano de Dermatologia.
As principais características do processo de envelhecimento da pela são o afinamento da epiderme, com a consequente aproximação da derme e maior exposição dos capilares. Diminuição dos proteoglicanos, que são as proteínas que formam os géis e são responsáveis por regular a estrutura da pele. Na falta dos proteoglicanos, o resultado é a flacidez, o ressecamento e o pregueamento da pele.
Embora seja um processo irreversível, podemos fazer retardá-lo. Manter a parte hormonal equilibrada, assim como a suplementação adequada de acordo com os exames, que devem ser regulares. Os maiores inimigos da pele são sol, cigarro, toxinas (como por exemplo, o mercúrio, o alumínio e os radicais livres), além de alimentos inflamatórios, como glúten, leite e derivados. O ideal é ter uma alimentação balanceada e à base de produtos orgânicos, sem agrotóxicos.
As dermatites atópicas são mais recorrentes no inverno, mas não são comuns na idade senil. A xerose é mais grave nos idosos e ocorre devido ao ressecamento excessivo da pele, que pode chegar a descamar. Por isso, nesta etapa da vida, é preciso usar um hidratante mais clínico e menos perfumaria, que pode ser à base de emolientes e umectantes, ou seja, substâncias que impedem a perda da água. Os produtos mais oleosos e com vitamina E, juntamente com substâncias que puxam a água de camadas mais profundas – como o ativo aquaporine – são os mais indicados. Para manter a pele hidratada, o ideal é usar o produto pelo menos uma vez por dia, no corpo todo, após o banho. Outro item importante é a temperatura da água. Muito quente, ela não faz bem à pele, mas deve-se evitar a água fria no inverno, porque é estressante para o organismo. O sabonete também tem que ser adequado: o ideal é ser líquido, com uma base oleosa, porque assim, em vez de remover a camada protetora da pele (camada lipídica), vai limpar e contribuir para a hidratação.
O câncer de pele é o mais frequente no Brasil e, de acordo com o Inca, corresponde a 30% dos tumores malignos detectados no país. Lesões rosadas que não cicatrizam, em áreas expostas, devem ser levadas ao dermatologista. Sinais que se modificam ou crescem muito, com grande variedade de cor, bordas irregulares e assimetria, também devem ser examinados.

 

FONTE: http://g1.globo.com/bemestar/blog/longevidade-modo-de-usar/post/como-evitar-o-ressecamento-da-pele-no-inverno.html